entre um dia e outro

2009 E 2010: ARQUIVO DE RESIDÊNCIAS . 2011 e 2012: PROJETO ESCUTA NÔMADE

Um olhar de 2011 para 2010

Quando terminaram os percursos para o SESC de São Paulo eu fiz um e-mail para compartilhar alguns das percepções, sentimentos. Na época, eu e a Thaís não tivemos tempo de alimentar um blog. Posto agora o fly, a lista dos percursos, este e-mail e amanhã ou depois algumas fotos para que a nossa memória tenha essa ajuda.

Gente gentil….

também saio agradecido e com a memória saindo pelo ladrão como os novos souvenirs. Fica a visão do terraço do copan, noite de céu aberto com luzinhas dos aviões subindo e descendo, meio a milhões de outras amareladas, ou a milhares vermelhas na ponta dos para-raios, bem abaixo de uma lua que parecia querer se enturmar. Também vou levar a imagem da névoa que foi se fechando sobre a represa, transformando-se em um gravura chinesa, para em seguida não ser mais nada, só névoa e estranhamento. Fica a chuvinha no rosto, sapato meio molhado, alarido educado de adolescentes felizes e uma balsa deslizando por entre dois trapézios. Fica uma história terrível como só as de carochinha podem ser, com lenha, floresta, cavalo, caçador, rapto, escravidão e libertação. E choro e dor e bálsamos. Fica o remorso pelo peso da caixa de som e a vontade de um motorzinho, ou que fosse um vilão de história em quadrinhos levando-a por percursos infindáveis morros acima até mudar de alma. Fica a imagem de plantinhas do Caio Fernando Abreu ainda hoje vivas e bem cuidadas por seu amigo, fica essa sensação de que o afeto gera tempo e disponibilidade, inclusive para passear. Ah… levarei comigo durante muito, muito tempo a lembrança de um trabalhador do mercado improvisando uma venda para compartilhar que experimentávamos naquele percurso guiado pelo Marcos. Claro que Gabriela vai ficar em lguar especial, assim como os guardachuvas, a água, o brigadeiro, a bolsa, todas aquelas pequenas coisinhas, que mostraram um jeito suave de cuidar. Vou continuar lamentando não ter ido ao percurso da Comida de Santo e para compensar vou rir lembrando de quando entrei no quarto do hotel que já estava ocupado: esqueço nunca a mulher segurando com uma mão o lençol acima dos peitos, dando um pulo e aplicando uma portada muito segura na minha cara. A primeira portada ninguém esquece.

Enfim, caros novos amigos, , acho que o mesmo diz a Thaís, não vou esquecer de vocês, da Sandra com quem tenho tantoas identidades estéticas (o gosto pelo Ministry of Sally Walk: algum dia teremos coragem de sermos tão ridículos?), a Tatiane, tão doce e envolvida com missões impossíveis (encotnrar identidade para Sergipe), a Denise que possui dento de casa a mais amável das previdências privadas, o Tomaz que faz da arte exercício de humanidade, o Rafa a tudo atento e atencioso.

Vou fazer um foto mental nossa ao lado da prateada Gabriela e do seu Vicente. Não sou muito dado a nostalgias mas quem sabe algum dia eu não queira mostrar algumas fotos antigas, falar de coisas que aconteceram, assim pequenas, assim especiais.

Júlio

Anúncios

No comments yet»

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: